Colégio Logosófico adota plataforma Moodle e ganha em interação com alunos no ensino à distância

Escola de Belo Horizonte passou a usar o software com a ajuda e suporte técnico da AIX Sistemas e viu suas aulas ganharem mais dinâmica e criatividade

A neurociência já comprovou que não há aprendizado sem atenção. E não há como chamar a atenção dos alunos sem conteúdo e forma de exposição que geram interesse. Isso já era claro na escola física, mas nas aulas de ensino à distância a lógica é a mesma. 

E foi justamente para manter o interesse dos alunos e a qualidade do ensino à distância, que o Colégio Logosófico adotou, desde o início da quarentena, a plataforma Moodle, que é um ambiente virtual de aprendizagem. A escola fica no Bairro Funcionários, em Belo Horizonte, e contou com todo o suporte de personalização e treinamento da AIX Sistemas.

A ferramenta tem ajudado o colégio a não apenas manter as aulas acontecendo nesse período de pandemia, mas a propor um ensino envolvente e criativo, garantindo a qualidade do ensino. 

A professora Milena Almeida, que dá aulas de Ciências e Biologia na escola há dez anos, explica que já usava a plataforma como aluna de uma especialização. Mas, agora como professora, reaprendeu a utilizar a ferramenta e ficou satisfeita com tantas possibilidades que ela oferece.

Milena Almeida, professora de Ciências e Biologia

 

 

 

“Temos vários recursos para estimular e avaliar os alunos no Moodle. Entre eles, questionários, fórum de debates, tarefas. E, no caso das provas, a gente faz perguntas que evitem a consulta óbvia na internet. Com isso, pretendemos estimular o estudo”, conta.

 

 

 

 

 

 

Para ela, usar o ambiente virtual abre um novo campo de interação com os alunos e os pais. “A aula à distância é uma possibilidade muito interessante que até então a gente não estava explorando. É a novidade do momento e exige um planejamento diferente para o professor, em comparação com a aula presencial. Mas há muitos recursos: posso dividir a turma em grupos, passear pelas salas de debate e desenvolver com os alunos a organização mental para esse contexto digital”, completa a professora. 

A diretora pedagógica do Colégio Logosófico, Mayra de Castro Miranda Araújo, também destaca os ganhos de trabalhar com uma plataforma digital de ensino, justamente num contexto de um mundo cada vez mais virtual. Ela lembra que a escola também tem o compromisso de formar cidadãos digitais e comemora o fato de os alunos já estarem muito adaptados ao novo sistema.

Mayra de Castro Miranda Araújo, diretora pedagógica

 

 

 

“Vários alunos já estão usando o aplicativo da plataforma por iniciativa própria e demonstram muita familiaridade com o sistema. Consideramos importante o colégio ter um ambiente virtual de aprendizagem e, por isso, daremos continuidade à utilização do Moodle após a pandemia. Essa experiência tem sido uma oportunidade para o desenvolvimento de competências necessárias para que os alunos vivam as demandas e as necessidades desse mundo”, afirma. 

 

 

 

 

A diretora explica que, entre os professores, a adaptação à plataforma também acontece. Mas, para acelerar o processo, a equipe contou com o suporte da AIX Sistemas, que ofereceu cursos, tutoriais e atendimentos. Mayra destaca a qualidade da assistência técnica: 

“O treinamento coletivo contribuiu para a capacitação dos professores, permitindo a eles maior familiarização com a tecnologia e com a própria plataforma. Tivemos, também, alguns atendimentos individuais aos professores, que replicaram o conteúdo a seus pares e ampliaram o conhecimento sobre o Moodle”, observa. 

Pós-pandemia: sistema permanece no modelo híbrido

A diretora pedagógica do Colégio Logosófico explica que a escola já estuda adotar o modelo híbrido de aprendizado, que mescla encontros ao vivo e atividades online. 

A metodologia propõe a exploração tanto de momentos em que o aluno estuda e aprende sozinho, quanto da interação social com o professor e os colegas. O termo surgiu como uma inovação no ensino tradicional e já é destaque como tendência neste século XXI. 

Vale lembrar que, nesse contexto, o papel do professor será ainda mais importante. Isso porque o docente passa a atuar como mediador ou tutor. E cabe ao aluno assumir um protagonismo e ter um aprendizado mais ativo. 

“Assim como a pandemia trouxe a novidade das aulas interativas, exclusivamente online, o ‘novo normal’ também poderá trazer mais essa novidade do modelo híbrido. Caberá uma nova adaptação, tanto nossa, quanto dos alunos e dos pais”, pondera a professora Milena Almeida.