concessão de bolsas

Concessão de bolsas: como se organizar para o aumento de candidatos no cenário pós-pandemia?

A educação é um direito de todos que deveria ser garantido pelo Estado. Mas, como na prática, os governos não dão conta de suprir todas as demandas da população, cabe aos demais setores da sociedade contribuir para que esse direito seja garantido de forma igualitária a crianças, jovens e adultos.

Pensando nisso, diversas instituições de ensino se organizam para oferecer bolsas de estudos. Mas, a procura é tanta que elas precisam fazer grandes seleções baseadas em critérios de maior vulnerabilidade social dos candidatos.

Em cenários de crises, como o que vivemos hoje devido à pandemia do coronavírus, a demanda costuma ser ainda maior, uma vez que a renda da população diminuiu. Dessa forma, é bem provável que o número de candidatos às bolsas de estudos cresça muito nos próximos meses em todo o país.

Mas, qual a importância da concessão de bolsas para a construção de uma sociedade saudável? E como a filantropia também pode trazer benefícios para as escolas? As instituições de ensino no Brasil estão prontas para esse aumento no volume de candidatos às bolsas? É sobre isso que vamos falar neste artigo.

Filantropia na educação: importância e benefícios

A concessão de bolsas de estudo é regulamentada pela Lei da Filantropia (12.101/09), sancionada em 2009. Ela propõe que instituições de ensino ofereçam anualmente bolsas de estudo integrais e parciais à população em vulnerabilidade social. A legislação representou um grande avanço na luta pela garantia de educação para a população de baixa renda.

As escolas que aderem à lei recebem o Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social (Cebas). Esse documento dá a elas uma série de benefícios fiscais e estratégicos na celebração de convênios com o poder público. Alguns exemplos são parcelamento de dívidas referentes a tributos federais, desconto na conta de energia elétrica e isenção de impostos.

Além desses benefícios garantidos pela lei, as escolas que oferecem bolsas ganham reconhecimento junto à comunidade onde estão inseridas. Isso traz um valor importante para a sua imagem e pode reverter em atração de novos alunos.

É válido lembrar que a oferta de bolsas parciais ajuda a escola a gerar receita, mesmo que seja em volume menor. Isso garante o bom funcionamento da instituição para todos, afinal de nada adiantará uma escola trabalhar apenas com alunos que pagam 100% da mensalidade e não conseguir preencher suas turmas. Lembre-se: salas vazias podem gerar prejuízo.

Leia também: Política de descontos na escola infantil: verdadeiras “cartas na manga” se bem planejadas

Por fim, o maior benefício da concessão de bolsas está na contribuição com uma sociedade mais justa e igualitária. Dar acesso à educação a alunos de baixa renda é também combater a desigualdade social e levar melhoria de qualidade de vida para famílias inteiras.

Pandemia pode aumentar volume de candidatos

A busca por bolsas integrais e parciais nas instituições beneficentes costuma ser alta o ano inteiro. Justamente por isso, as escolas são obrigadas a fazer processos detalhados de seleção que incluem análise de documentos, entrevistas e visitas à casa do candidato.

Mas, esse volume pode ser ainda maior nos próximos meses. Isso porque a pandemia do Coronavírus gerou uma grande crise econômica. O número de desempregados aumentou e a renda das famílias caiu. Isso quer dizer que aqueles que poderiam pagar pela mensalidade antes da crise, agora, terão mais dificuldades e aumentarão a fila dos candidatos às bolsas.

Para garantir uma seleção justa, as escolas terão que redobrar os cuidados com os processos e se organizar para dar conta da demanda aumentada.

Oferta e controle na concessão de bolsas

Como garantir essa organização do processo de concessão de bolsas sem aumentar os custos da escola e sobrecarregar os funcionários? 

A única resposta possível para isso é a automatização da gestão. É justamente isso que oferece o sistema Concessão de Bolsas, desenvolvido pela AIX Sistemas. 

De forma prática, ele simplifica todo o processo de concessão de bolsas, desde as inscrições, passando pelas entrevistas, o ranqueamento dos candidatos, até a prestação de contas aos órgãos competentes.

As vantagens são tanto para os candidatos, que têm em mãos um sistema simples de cadastro de solicitação e consulta da bolsa, quanto para as instituições de ensino, que ganham organização e eficiência no processo. 

Mas, quais são as funcionalidades?

Entre as funcionalidades do sistema está o ranqueamento automático dos candidatos, de acordo com os critérios de vulnerabilidade definidos pela instituição. 

Isso quer dizer que, ao invés de receber todos os inscritos para a fase de análise de documentos, a escola pode selecionar o número de candidatos de acordo com as vagas disponíveis, seguindo a ordem do ranking gerado pelo sistema.

Além disso o Concessão de Bolsas permite agendamento de entrega de documentos e entrevistas online; arquivamento de documentos para prestação de contas e transparência; registro das impressões dos entrevistadores, preenchimento automático de parecer, entre outros.

Por meio do sistema também é possível gerar relatórios personalizados para controle de processos, melhoria na tomada de decisão e na prestação de contas. 

Entre os relatórios possíveis estão o de bolsas concedidas; o de critérios de vulnerabilidade social; o de pedidos deferidos e o de número participantes, que é importante para provar a concorrência.

Entenda as vantagens práticas

Automatizar o processo de concessão de bolsas trará vantagens práticas para os custos da instituição de ensino, assim como para a sua organização. Ao adotar o sistemas a escola diminuirá gastos com ligações telefônicas, material de escritório e deslocamento de pessoas. 

Além disso, o trabalho do assistente social será otimizado com diminuição do tempo na redação de pareceres. O sistema também diminui as chances de erros e traz mais transparência para o processo.

Quer entender melhor o sistema Concessão de Bolsas? Clique aqui