Você sabe o que é escola 3.0? Conheça os princípios básicos e por que ela é urgente!

A tecnologia não para de avançar e é inquestionável que, a cada melhoria, nossa sociedade muda um pouco. Pense bem: há pouco tempo estávamos na era do 3G. Agora, nossos celulares funcionam em 4G e já estamos migrando para o 5G. A escola 3.0 abre portas para uma educação totalmente conectada e uma rotina bem diferente da que conhecíamos há alguns anos.

É fato: as possibilidades trazidas pela tecnologia mudam a forma como nos organizamos como sociedade, criam novos empregos, demandam novas habilidades. Isso força a criação do conceito da Escola 3.0. Afinal, se estamos falando de formação dos novos cidadãos, então precisamos de um sistema de ensino adequado para esse novo mundo.

O problema é que muitos educadores ainda torcem o nariz quando ouvem sobre o assunto. Muitos têm medo de que a tecnologia bagunce conceitos da educação e associam expressões como “Escola 3.0” a modismo. A questão é que eles não entenderam que a mudança é inevitável e muito mais profunda do que imaginam.

Perceba, ao longo do texto, que não tem nada a ver com apenas colocar alguns tablets nas mãos dos alunos. Não é sobre usar o Youtube algumas vezes ou joguinhos de aplicativos. A escola 3.0 propõe uma mudança estrutural na forma como se ensina. É uma novo jeito de enxergar a educação a partir de uma sociedade totalmente transformada pela tecnologia.

O que é escola 3.0?

É um conceito para um novo momento da educação. Ele nasce junto com as novas tecnologias, que alteram como as pessoas acessam informações, se comunicam e se relacionam como sociedade.

A lógica é fácil de entender: se o mundo digital muda as regras do ambiente de trabalho, das relações comerciais, do funcionamento das cidades, então a escola também precisa mudar para formar o cidadão desse novo mundo.

E, veja bem, isso nem é novidade. Se existe um 3.0 é porque já existiu um 2.0 e um 1.0, certo? Sim. É que a sociedade está em constante mutação e a educação faz parte disso.

Vamos fazer uma rápida viagem no tempo para mostrar como isso funciona?

Pois bem, no passado as pessoas viviam em pequenos grupos, trabalhando na terra, ao ar livre com ferramentas manuais. A escola refletia a sociedade em que estava inserida, então era ao ar livre e os alunos se reuniam em pequenos grupos, usando materiais simples. Podemos chamar essa versão de escola 1.0.

O que veio depois? A industrialização. Ela mudou tudo: as pessoas começaram a trabalhar com ferramentas mecânicas, em grandes grupos e em ambientes fechados. A produção frenética e repetitiva da fábrica não permitia que as pessoas se relacionassem e sequer pensassem. Era tudo padronizado e muito vigiado.

A escola desse período, que pode ser chamada de 2.0, se adaptou para atender essa nova demanda de uma economia industrial. A sala de aula também ganhou um ambiente fechado e ordeiro: carteiras enfileiradas, métodos de ensino repetitivos e pouco espaço para conversa e para a criatividade.

É claro que de lá para cá muita coisa mudou e a educação do modelo industrial sofreu significativas alterações. Mas, o ensino não acompanhou de perto as mudanças da sociedade.

Vamos pensar no modelo da nossa atual sociedade?

Estamos falando de um mercado de trabalho dinâmico, onde o domínio das ferramentas digitais é exigência básica. A demanda é por profissionais que sejam criativos, que saibam resolver problemas, se relacionar com a diversidade de pessoas e tenham a capacidade de visitar diferentes áreas de conhecimento na hora de executar uma tarefa. A cada dia surgem novas profissões e habilidades que não existiam há poucos anos.

Conheça as habilidades do futuro e entenda o que sua escola tem a ver com isso

Percebe por que precisamos de uma Escola 3.0? Sim, o mundo mudou radicalmente, mas a educação ainda está fundamentada nas bases da era 2.0.

Princípios da nova escola

Ao falar de Escola 3.0 é importante que a gestão das instituições de ensino entenda que a adoção de dispositivos como celulares e de estratégias como o uso de vídeos em sala de aula são apenas formas de como esse novo jeito de educar vai acontecer. A inovação está na forma de enxergar esse aluno modificado pelo meio e na adaptação do ensino.

Mas, por onde começar? Veja abaixo alguns princípios da escola 3.0:

Personalizada

O ensino deverá ser capaz de alcançar a todos de forma personalizada. Isso quer dizer que a nova educação vai considerar não apenas questões óbvias como necessidades especiais e deficiências dos alunos, mas também habilidades específicas, tempo de execução de tarefas, potencialidades e dificuldades de cada um deles. A tecnologia ajudará o professor em sala de aula, que passará a ter em mãos dados e ferramentas para atender cada estudante de acordo com sua necessidade.

Conheça mais de 5 cursos gratuitos para professores na área de tecnologia

Multidisciplinar

A escola 3.0 continuará ensinando matérias básicas do currículo, mas ela terá que ir muito além disso. O ensino precisará ser cada vez mais amplo e multidisciplinar para atender à demanda de um mercado de trabalho que busca profissionais com capacidades diversas. O aluno precisará ser ensinado a resolver problemas utilizando diversos conhecimentos, além de ter senso crítico e capacidade de colaboração na execução de tarefas. Ele também precisará ter um raciocínio digital e não analógico.

Co-aprendizagem

No mundo digital o professor não pode ter mais a pretensão de que é dono do conhecimento. O acesso facilitado à informação de qualidade mudou a forma como os alunos aprendem. Sim, eles fazem parte desse processo a partir da co-aprendizagem. Isso é bom porque traz mais valor para o trabalho do educador. Veja bem: ele terá que se preocupar menos com a lista de matéria a ser despejada no quadro e mais com ensinar o aluno a aprender. Ele apontará o caminho para aprendizagem, ensinando o aluno a ser protagonista na sua própria busca por conhecimento e desenvolvimento.

Ferramentas digitais

Já deixamos claro que as ferramentas digitais não são a única forma de se construir a Escola 3.0, mas é claro que elas são fundamentais nesse processo. O educador terá que, não apenas entender como os dispositivos funcionam, mas o uso social deles. A formação integral dos alunos passará pelo uso de redes sociais, aplicativos, vídeos no Youtube, entre outras ferramentas que ainda poderão ser criadas.

Veja 5 dicas de uso das tecnologias como recursos pedagógicos

Comece arrumando a casa

Não dá para falar em escola 3.0 se a própria instituição não estiver inserida na era digital. A formação de cidadãos para esse novo mundo vai exigir que escolas e faculdades se modernizem em relação à gestão, ao armazenamento de dados e à comunicação com os alunos e a família. Conheça os produtos da AIX e prepare sua escola para esse novo momento da educação.