ensino híbrido

Ensino híbrido continuará crescendo no pós-pandemia: sua instituição está preparada?

A pandemia da Covid-19 transformou a realidade em diversos setores da sociedade, inclusive na educação. Devido às medidas de isolamento social, várias instituições de ensino passaram a oferecer aulas online e adotaram o ensino híbrido. Em alguns casos, como o de determinadas universidades que têm matérias com aulas práticas em suas grades, somente essas permaneceram no ambiente físico, resultando em um ensino semipresencial.

Fato é que, mesmo quando a crise na saúde passar, muitas ações adotadas nesse período e que deram certo vão continuar a fazer parte das escolas, empresas e do dia a dia das pessoas, de uma maneira ou outra. De modo geral, houve um aperfeiçoamento de muitas áreas, mesmo que forçadamente em alguns casos. O legado permanecerá com seus bons resultados.

As escolas e faculdades nunca mais deverão ser as mesmas. É justamente sobre isso que trataremos neste artigo, mostrando como um novo mundo está se abrindo para as instituições de ensino. Um mundo bem mais promissor, inclusive.

O que é o ensino híbrido

É importante deixar claro o conceito de ensino híbrido ou blended learning. Trata-se, como o próprio nome sugere, da união entre as aulas presenciais, aulas em casa, utilizando livros e outros recursos e, também, as aulas remotas, com a ajuda imprescindível da tecnologia.

O ensino híbrido é quando, por exemplo, ao ministrar o conteúdo de uma aula, o professor possa utilizar de tecnologias virtuais, livros, presencial para auxiliar o aluno na construção do conhecimento. 

Um outro exemplo muito conhecido é a aula invertida, onde o aluno pode ler um texto em casa, assistir um vídeo e no encontro presencial desenvolver alguma atividade, leitura ou dinâmica com base naquilo que os alunos fizeram anteriormente em casa. 

Antes mesmo da pandemia da Covid-19 essa já era uma tendência, que se intensificou ainda mais com a necessidade de distanciamento físico. Instituições de ensino, como universidades, já contavam com esse tipo de ensino, que vem revelando bons retornos ao longo do tempo.

Diferenças entre o que é o ensino híbrido e as modalidades de ensino

Podemos considerar o ensino híbrido como um conceito de educação que envolve metodologias e tecnologia aplicada em aulas presenciais e/ou remotas. Ele está presente em diversas modalidades, como: 

Ensino a distância (EAD)

O ensino a distância é realizado integralmente de maneira online. Todas as aulas são dadas por meio das telas. Os encontros presenciais, em geral, ocorrem só para a realização de provas e não para a transmissão de qualquer matéria que seja.

Ensino presencial

Já o ensino presencial é o mais comum até agora: todas as aulas são ministradas nas salas de aula físicas. No entanto, com o advento da tecnologia, esse modelo tem se transformado cada vez mais para atender as demandas e expectativas da sociedade atual.

Ensino semipresencial 

É a junção das duas modalidades citadas acima. O aluno possui atividades para desenvolver de maneira remota e outras presencialmente nas instituições, como avaliações e apresentação de trabalho. Continue a leitura e saiba mais sobre esse formato de ensino que vem sendo oferecido por muitas instituições. 

Principais vantagens do ensino semipresencial 

Agora que você já sabe o que é o ensino híbrido e as diferenças entre as modalidades oferecidas pelas instituições, chegou a hora de falarmos sobre os benefícios oferecidos pelo semipresencial. Separamos neste artigo os principais!

Racionalização de custos

A gestão de recursos é de suma importância para o bom andamento das instituições de ensino. Não se trata de cortar gastos ao léu e, com isso, a qualidade dos serviços oferecidos. É encontrar soluções apropriadas para o momento atual, sem perda da excelência, e que garantam às escolas atuar de maneira ainda melhor, gastando menos.

O ensino semipresencial proporciona essa vantagem. Ele contribui para a otimização do tempo dos profissionais, para a redução nos custos de manutenção da estrutura física, para um atendimento mais ágil, feito de qualquer lugar, entre outras questões positivas.

Adaptação à educação 4.0

O mundo já não é mais o mesmo de poucas décadas atrás. A rápida transformação digital trouxe consigo muitas vantagens, mas também uma série de desafios, inclusive no mercado de trabalho. Nesse contexto, as escolas têm a importante missão de formar cidadãos digitais, oferecendo aos seus estudantes conhecimentos úteis para o presente e para o futuro e ensinando-os como lidar com as ferramentas requeridas nesse novo cenário.

É justamente daí que surge o conceito de educação 4.0, que leva em conta a aplicação das mais diferentes tecnologias em sala de aula. O ensino híbrido é um importante recurso nesse cenário, uma vez que já insere o aluno em um ambiente que será cada vez mais aplicado mundo afora, com a intensificação de tendências como o home office, por exemplo.

Personalização do ensino

O ensino semipresencial oferece uma possibilidade maior de personalização. Isso porque são várias as oportunidades oferecidas pela tecnologia. Por meio das ferramentas digitais, os professores podem criar aulas diferenciadas, baseadas inclusive nas expectativas e preferências dos alunos, além de propor novos desafios e ações.

Além disso, essa modalidade oferta uma maior flexibilidade para os estudantes, algo cada vez mais presente e requerido na sociedade atual. Dessa forma, eles podem se organizar de uma maneira mais dinâmica e autêntica, conforme se sentem mais confortáveis.

Melhor aproveitamento dos conteúdos expositivos

Por mais que os alunos estejam prestando bastante atenção à aula, muitas vezes alguns conteúdos se perdem. Isso ocorre por vários motivos, desde o não entendimento da matéria no momento da exposição do conteúdo até a impossibilidade de acompanhá-la em algum período, pelas mais diferentes razões.

O ensino híbrido contribui para que fatos como esse não ocorram com frequência. Algumas das aulas principais podem ser ministradas no ambiente virtual ao mesmo tempo em que são gravadas. Dessa forma, poderão ser disponibilizadas posteriormente, podendo o estudante recorrer a elas sempre que necessário. Outra vantagem é que o conteúdo fará parte do próprio acervo da escola e poderá ser útil por muito tempo.

O futuro da modalidade semipresencial com o auxílio do ensino híbrido

Como você percebe neste artigo, o ensino híbrido já era uma tendência e, com as experiências obtidas durante a pandemia da Covid-19, tem mostrado ainda mais a sua força para as instituições de ensino, profissionais da educação, alunos e seus respectivos responsáveis.

A modalidade semipresencial se encaixa nas mais diferentes etapas da vida do estudante e, inclusive, está relacionada às mudanças que vêm ocorrendo na sociedade, como a Educação 4.0 e o novo ensino médio.

Esse último – uma reforma promovida por meio da Medida Provisória (MP) 746/2016 sancionada pelo então presidente Michel Temer – instaurou uma educação muito mais moderna e dinâmica, inclusive com a possibilidade de 20% das aulas serem à distância no ensino regular e 30% no ensino noturno. Ou seja, o ensino semipresencial vem sendo reconhecido e recomendado para os dias atuais!

O ensino semipresencial tem se tornado cada vez mais uma realidade no dia a dia das instituições de ensino. Não é para menos: oferece uma série de vantagens para todos os envolvidos e ajuda os estudantes a se formarem de maneira completa, prontos para as exigências e profissões do futuro. Para que os resultados sejam ainda melhores, é importante contar com boas ferramentas tecnológicas, como o moodle.